O produto IoT Vs o produto Inteligente conectado

O produto IoT Vs o produto Inteligente conectado

Um produto IoT é mais valioso do que um produto conectado ou um produto inteligente ou mesmo um produto conectado inteligente.
A distinção mais importante está no cerne do produto IoT – o produto definido por software. O produto definido por software, às vezes chamado de gêmeo digital, consiste em dois componentes principais: o modelo cibernético e o aplicativo do produto. Junto com a análise, eles são o que podemos chamar de trio de valor. O modelo quantifica o valor incremental que um produto IoT oferece. Por exemplo, a proposta de valor de uma secadora de roupas IoT poderia ser secar as roupas da maneira mais econômica possível. Nesse caso, o modelo de valor é uma função da ventilação e do calor, as duas causas da evaporação, e o preço da energia que determina o custo. O modelo:

Energia = f (velocidade do ventilador, velocidade angular do tambor, temperatura do aquecedor, preço da energia) determina os dados de que precisamos, o que influencia os sensores e serviços externos que escolhemos, o que, por sua vez, direciona os requisitos do produto. O aplicativo orquestra essa coleta de dados e a análise funciona no mesmo modelo para fazer coisas como prever quando a carga estará pronta e quanto custará. É essa virtualização de hardware que permite que o produto IoT faça interface com o software semelhante à Internet.

Talvez não seja importante, mas faz muito sentido pra mim, que um produto conectado evoca a imagem de um produto sendo controlado remotamente por um dispositivo móvel, algo que estamos fazendo há 2 anos. Quanto vale isso hoje? Um produto inteligente é o que temos nos últimos 50 anos, depois que começamos a incorporar MCUs (micro control unit) em produtos para capacitar a inteligência local, começando com o Computador de Orientação Lunar (foi um computador de bordo que provia recursos computacionais e controles para orientação, navegação e controle do Módulo de Comando e do Módulo Lunar utilizados no Projeto Apollo). Onde está o valor incremental aí? Um termo usado atualmente é produto inteligente e conectado, que além de ser um bocado, não captura a verdadeira força do produto IoT. Um produto IoT, por definição, utiliza todo o poder da Internet para criar valor incremental.

Milhões de dispositivos e trilhões de dólares. Quando a maioria das pessoas olha para a Internet das Coisas, vê tecnologia. Eu vejo dinheiro. Muito dinheiro. Dinheiro economizado com o aumento da eficiência operacional e utilização de ativos, e dinheiro ganho por meio de inovação e invenção. Também vejo em termos de resultados – o que considero ser o aplicativo matador da IoT. O maior desafio em IoT não são padrões e não é a segurança. O desafio nº 1 em IoT hoje é como usar a tecnologia para criar um ROI positivo e negócios lucrativos. É com base nesse contexto que surge iotlivelab.com, O primeiro One-stop-shop de P&D-IoT VIVO para desenvolvimento da Internet das Coisas. O IoT Live Lab se torna o ecossistema ideal, do conceito ao design para explorar, pensar, criar, prototipar e validar aplicações aderentes ao Plano Nacional de Internet das Coisas na prática, uma oportunidade única para gerar conhecimento aplicado afim de desenvolver soluções viáveis, econômicas e escaláveis que geram resultados de alto impacto com sustentabilidade.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *